Quem tem direito a Cidadania?

1. Filhos, netos, bisnetos, etc., de italiano, em todas as gerações mantendo-se sempre a linha paterna, ou seja, se a linha não tiver mulheres em nenhuma das gerações.

 

Exemplo:

BISAVÔ, AVÔ, PAI, REQUERENTE (pode ser homem ou mulher).


2. Filhos de mulher italiana que tenham nascido a partir de 01/01/1948, ou seja, sempre que tiver uma mulher no meio da linha genealógica, o filho desta mulher só recebe a cidadania italiana se for nascido após 01/01/1948

 

Exemplo:

BISAVÔ, AVÓ, PAI ou MÃE (NASCIDO APÓS 01/01/1948), REQUERENTE ou

BISAVÔ, AVÔ, MÃE, REQUERENTE (NASCIDO APÓS 01/01/1948)

 


Existem, porém, causas que podem ter determinado a perda da cidadania de acordo com as leis vigentes na época, como especificado a seguir:


CASOS DE ASCENDENTES NATURALIZADOS. 


Desde 16 de agosto de 1992, o cidadão italiano que adquire outra cidadania conserva a italiana, se não optar pela renúncia formal da mesma. Por outro lado, para aqueles que se naturalizaram antes de 16 de agosto de 1992 e que, com base na legislação anterior, perderam a cidadania italiana, esclarece-se o seguinte:


1) A cidadania italiana é transmitida SOMENTE aos filhos nascidos antes da data de naturalização;


2) As pessoas interessadas podem readquirir a cidadania italiana transferindo a própria residência para a Itália e seguindo as outras condições prescritas pela lei. A cidadania readquirida é transmitida SOMENTE aos filhos menores de idade.